jusbrasil.com.br
14 de Junho de 2021

Sou um Advogado Fracassado

Publicado por Advogado Fracassado
mês passado

Me formei em direito em 2011, sempre fui um aluno esforçado e estudioso, na primeira tentativa passei com uma excelente nota na OAB.

Mas, depois que peguei a tão sonhada carteirinha da OAB foi só fracasso um após o outro.

O Escravo

Logo no início da jornada tive que trabalhar como advogado em um escritório de advocacia, na época até uma faxineira recebia mais que um advogado do escritório.

Tinha que ir a pé para o escritório para economizar o dinheiro da passagem para poder comer uma marmita, era obrigado a usar uma roupa social para andar no sol, trabalhava mais de 12h por dia e recebia só casos complexos, por isso perdia o final de semana pesquisando para encontrar uma solução.

Com tudo isso, o advogado dono do escritório, que fazia pelo menos umas três viagens internacionais por ano, sempre dizia que o escritório não tinha condições de pagar mais que um salário mínimo (sem carteira assinada) e que na verdade estava me dando uma grande oportunidade.

Depois de um tempo não aguentei mais viver nessa condição análoga a de escravo que é conhecida popularmente como “advogado associado”.

O Empreendedor

Após conquistar minha liberdade decidi que teria meu próprio escritório, então fiz o que todo mundo fazia, chamei mais uns dois colegas, alugamos uma sala, compramos uma mesa, cadeiras e uma cafeteira.

Pronto! Nasceu um escritório de advocacia.

E é óbvio que isso não daria certo, alguns meses depois o escritório “faliu” e ainda perdi os amigos (sócios).

Desde então tentei várias formas para me manter na advocacia, mas parece que tudo foi em vão.

Só para vocês terem uma ideia, em 10 anos advogando nunca consegui adquirir nada, não consegui ter dinheiro para comprar uma casa e muito menos um carro, na verdade no presente momento mal sobra dinheiro para eu comprar uma cueca, só tenho cuecas relaxadas, ainda bem que ninguém vê o que tem por baixo do terno.

Acho que vocês devem estar pensando que eu sou um preguiçoso, que não me esforço, que não sei trabalhar, que sou burro ou qualquer coisa do tipo.

Realmente devo ser burro, muito burro mesmo, mas nesses 10 anos não tive férias, não tive descanso, sempre trabalhei muito, sem folga nem em finais de semana, trabalho mais de 12h por dia, todos os dias.

Me dediquei a estudar marketing jurídico, fiz sites, escrevo artigos com as regras de SEO, invisto em Google Ads, fiz uma página no instagram para postar conteúdo e consegui mais de 10 mil seguidores (que não servem para nada).

Além de ter gasto muito tempo e dinheiro com cursos e treinamentos que ensinam como ser um “Advogado de Sucesso”.

Realmente consigo fechar contratos, recebo contatos de pessoas interessadas todos os dias, recebo honorários.

Enfim, tenho sido um advogado empreendedor e atuante, mas ainda assim minha vida não saiu do atraso.

O desesperado

Durante essa jornada foram meses ganhando muito e outros meses ganhando quase nada. Esses altos e baixos me fizeram acumular dívidas, passar vergonha e humilhação com minha família e amigos, por isso até me afastei de todos só para não ter que ficar justificando as mesmas coisas sempre.

Hoje consigo ganhar bem, mas minha vida se tornou um pesadelo, trabalho todos os dias dia e noite, trabalho final de semana, feriado, não vejo ninguém além de clientes, só converso com clientes, mas ainda assim não consigo ter uma segurança ou estabilidade.

Tenho insônia todas as noites, mal consigo dormir pensando em processos, em prazos, em novas teses, nos clientes para atender e em quais estratégias posso colocar em prática para melhorar na advocacia.

Desligo o notebook de madrugada antes de ir deitar e no outro dia a primeira coisa que faço depois de acordar é ligar o notebook de novo.

Não consigo pensar em mais nada na minha vida, só em processos, prazos, clientes, honorários.

A jornada do fracasso

Moro em frente a praia e tem meses que nem vejo o mar, que não piso na areia, que não sinto o vento, que não escuto o barulho das ondas, não consigo pensar em mais nada a não ser em advogar.

Não tenho prazer com nada em minha vida, nem para ver amigos e parentes, nem para comer, passear e muito menos para sexo... Sim, até isso, perdi a vontade aos 30 e poucos anos e, inclusive, durmo em quarto separado da minha esposa ou ex, nem sei mais o que ela é.

Às vezes me sinto como um robô e as vezes acho que estou morto, às vezes tenho crises de ansiedade tão terríveis que fico paralisado, não consigo pensar, não consigo comer, não consigo tomar banho, não consigo fazer nada, e ainda assim passo o dia inteiro na frente do notebook pesquisando andamentos de processos, consulto as mesmas páginas várias vezes ao dia, toda hora dou um F5 para saber se saiu alguma decisão nova.

É um pesadelo!

Não aguento mais isso, advogar é um inferno, mas não consigo sair dele.

E as coisas estão ficando piores, agora cada vez que fecho um novo contrato eu me sinto triste, me sinto mal, porque não queria ter mais um processo, na verdade eu só queria me livrar de todos eles e não pegar outros nunca mais.

Depois disso comecei a recusar clientes, deixo de responder dezenas de potenciais clientes que me mandam mensagens todos os dias, não atendo ligações, só de ver uma nova mensagem no WhatsApp eu já começo a tremer de ansiedade, fico nervoso, angustiado, sem foco, com vontade de sumir e abandonar tudo.

Hoje sinto que a pior coisa que fiz na minha vida foi ter estudado direito.

Devido a tudo isso não consigo pensar em nada diferente, nem em outras alternativas de trabalho, pois nunca trabalhei com outra coisa, nem mesmo estudar para concurso eu consigo, pois não tenho paz, além disso, tudo isso destruiu minha autoestima, meus sonhos e aniquilou minha vontade, não me sinto capaz de mais nada, então o que me resta é ser advogado.

E esse é um breve relato de um advogado fracassado.

35 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Amigo, duas coisas sobre seu texto, bem escrito - diga-se de passagem: 1) Se não há exagero retórico no que escreveste, pense seriamente em largar a advocacia. Largue aquilo que lhe faz mal. Vá ser corretor de imóveis, UBER, ambulante na praia. Qualquer coisa. Não procrastine, por favor; 2) Se tu soubesses o poder que têm as palavras, jamais escreverias um artigo com esse título. Funciona assim: pensamentos viram ideias, ideias viram palavras, palavras viram frases, frases viram atitudes, atitudes viram hábitos, hábitos viram rotinas. Se a primeira palavra que tu usares para se autodefinir for sucesso, certamente serás bem sucedido (parece autoajuda barata, mas não o é, isso envolve teoria da linguagem e estudo das sinapses cerebrais); agora, se te classificares com a palavra começada com F...[veja que eu nem escrevo essa palavra], infelizmente colherá os frutos daquilo que pensares. Fique em paz, amigo. continuar lendo

Não vi um advogado fracasado, vi um ser humano com baixa estima / depressão...
Se não procurar ajuda de um profissional, pode ganhar 100 mil por mês de honorários que nunca estará bom, nunca será suficiente. continuar lendo

Olá! Olha, a verdade é que a caminhada na advocacia não é nada fácil. Aliás, viver não é fácil. Eu compreendo a sua angústia, sua estafa, pois também encontro muitos desafios. Nesse caminho não existem certezas e receitas de bolo, mas acredito que as respostas que precisamos sempre podem estar perto de nós, ou melhor: dentro de nós. Por também ter os meus desafios, não tenho como dizer para ninguém fazer isso ou aquilo. A única coisa que tem me auxiliado em minha vida é realmente abrir um espaço de diálogo honesto com o que se passa dentro de mim, avaliando o que sinto, o que tenho em mãos e o que posso fazer dentro disso para encontrar o meu próprio lugar no mundo. Neste ponto, muitas vezes nossa alma também pode acabar precisando de ajuda especializada, como de um psicólogo, para nos auxiliar a ver aquilo que ainda não estamos conseguindo enxergar. Antes de sermos advogados ou profissionais de qualquer outra área somos humanos, e precisamos dar atenção a essas nossas questões humanas também. Às vezes, insights podem surgir e revolucionar tudo dentro e fora de nós. É um processo. Bom, mas tudo o que digo aqui, digo com respeito e solidariedade ao seu relato, pois também lido com situações semelhantes nessa caminhada. Muitas vezes é como se morrêssemos, mas também sempre pode haver chances de que algo novo renasça em nós e nos ajude a ver melhor a rota a ser seguida. continuar lendo

Cibelli, que gentil seu comentário! continuar lendo

Cara, você precisa de ajuda. Se quiser conversar, fala comigo no instagram @andressagouveiaadv continuar lendo